Formando líderes nas empresas

No ­ final de maio tive a oportunidade de participar do IV CHRO Forum (Fórum de Gestão de Pessoas) da American Chamber of Commerce (AMCHAM) de Curitiba e mediar um debate envolvendo dois diretores de Recursos Humanos de grandes empresas multinacionais. O tema central da discussão foi a formação de liderança dentro das organizações.

O que é liderança e por que ela é tão importante para as empresas?

O exercício e a natureza da liderança tem sido objeto de estudo do homem ao longo da sua história. Desde a nossa infância, o estudo da história tem sido o estudo dos líderes – o quê e por quê eles ­ zeram o que ­ zeram. Podemos defi­nir liderança como a habilidade de motivar e in‑ fluênciar pessoas, de forma ética e positiva para que contribuam voluntariamente e com entusiasmo para alcançarem os objetivos da equipe e da organização.

Essa habilidade é tão importante para as empresas como é para sociedade, uma vez que, um grupo de pessoas organizadas, com metas comuns, conseguem alcançar objetivos muito maiores do que qualquer ser humano pode atingir de forma isolada e solitária. Por essas e outras razões é tão importante identifi­car as pessoas com habilidade e talento para exercer a liderança e potencializar essas características para que empresas, sob a gestão desses pro­ ssionais, possam alcançar resultados melhores em um mercado cada vez mais competitivo.

Mas não é mais fácil trazer um líder para a organização do que formar internamente?

Trazer um líder do mercado pode ser considerado uma solução rápida, mas que vem acompanhada com uma boa dose de risco. A liderança é formada por várias características e muitas delas têm que ser coerentes com o perfil da empresa e das pessoas que lá trabalham.

Posso a­firmar com tranquilidade que executivos excelentes, com histórico de sucesso, podem simplesmente não alcançar os mesmos resultados quando inseridos em ambientes (empresas) diferentes. Diante disso as empresas buscam formar a liderança dentro das suas próprias organizações e essa estratégia traz vantagens, como: custo mais baixo, maior probabilidade de acerto, maior alinhamento com a cultura e com os valores da empresa e maior conhecimento da própria organização e do negócio como um todo.

E como formar essa liderança internamente?

Depois de identi­ficar as pessoas com maior potencial para exercer o papel de liderança, as empresas devem focar seus esforços em quatro pilares básicos: estratégia, gestão de pessoas, liderança e cultura.

Os conceitos de estratégia são fundamentais para qualquer líder. Conhecer as core competences(competências essenciais) da organização, ter uma ampla visão de negócios, ter per­fil analítico para considerar os vários cenários, ter boa compreensão da cadeia de valor e dos princípios da vantagem competitiva é essencial. Isso tudo se faz presente no dia a dia de quase todos os líderes e quando falamos em formar liderança é fundamental que esses conhecimentos sejam desenvolvidos. A gestão de pessoas é outra habilidade que deve ser desenvolvida e que é presente em todos os líderes. Como um líder tem que influenciar e inspirar um time de pessoas é fundamental que o mesmo tenha extrema habilidade no trato com as mesmas. É importante conhecer ferramentas de gestão e planejamento, ter foco na excelência da execução, analisar riscos e resultados e gerenciar a rotina da equipe e da empresa. A liderança deve ser exercida por pessoas com per­fil de coach(técnico ou mentor), focados em desenvolver pessoas e equipes, além de ótimo relacionamento interpessoal com todos os stakeholders (superiores, acionistas, clientes, liderados, etc.).

Cultura é a base ou a fundação da liderança dentro de uma organização. O líder deve conhecer e se identi­ficar com a cultura da empresa. É de responsabilidade desse pro­fissional, conhecer os fundamentos da cultura organizacional e sua importância, assim como construir e difundir uma cultura de sucesso e também como lidar com con‑ itos internos. Essas características formam o perfil de um verdadeiro líder, que difere e muito do tradicional chefe. Enquanto o primeiro consegue o total engajamento e participação das pessoas para o alcance dos objetivos, o segundo só exerce a autoridade através da coerção e do poder.

E você tem um chefe ou um líder?

Fonte: Imovelmagazine.com.br
Por Cristian Kim - CEO & Partner da Beyond.